...anunciou-se a morte da poesia nestes tempos da pós modernidade... mas a poesia voltou simplesmente ao seu início, à origem mais remota, ao canto, à música...
Sábado, 10 de Julho de 2004
os mais belos versos de amor: mandei-lhos por SMS e ela, depois de uma eternidade disse-me que pensou que eram citações...
Versos de Amor - Carlos Paião

Às onze e meia
Saiu p’ra rua
Com o seu fato domingueiro
Dormindo a aldeia
Brilhando a lua
Num céu de estrelas, conselheiro
Coração quente,
Timidamente
À sua porta, então, chamou
E abriu-se a janela
E só p’ra ela, triste, cantou:

Refrão

Versos de amor
Lindos esses versos de amor
Que fizera em segredo
A sonhar quase a medo
Um viver tentador

A sua vida por uns versos de amor
Lindos esses versos de amor
Na mais terna amargura
O silêncio murmura
Uma história de amor

A noite imensa
Foi mais rainha
Quando uma lágrima caiu
Na recompensa
O amor que tinha
Ela também chorou, sorriu

Foi tão bonito
Tinham-lhe dito
Que amar às vezes faz doer
Mas a dor que sentia
Não lhe doía
Dava prazer

Os sentimentos
Trá-los o vento
O dia à espera
O tempo à mão
E o beijo que deram
Emudeceram de tanta paixão


Publicado por segismundo_frio às 16:40
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

ary dos santos - canção de madrugar
DE LINHO TE VESTI
DE NARDOS TE ENFEITEI
AMOR QUE NUNCA VI
MAS SEI.
SEI DOS TEUS OLHOS ACESOS NA NOITE
SINAIS DE BEM DESPERTAR
SEI DOS TEUS BRAÇOS ABERTOS A TODOS
QUE MORREM DEVAGAR
SEI MEU AMOR INVENTADO QUE UM DIA
TEU CORPO PODE ACENDER
UMA FOGUEIRA DE SOL E DE FÚRIA
QUE NOS VERÁ NASCER. IREI BEBER EM TI
O VINHO QUE PISEI
O FEL DO QUE SOFRI
E DEI DEI DO MEU CORPO UM CHICOTE DE FORÇA
RASEI MEUS OLHOS COM ÁGUA
DEI DO MEU SANGUE UMA ESPADA DE RAIVA
E UMA LANÇA DE MÁGOA
DEI DO MEU SONHO UMA CORDA DE INSÓNIAS
CRAVEI MEUS BRAÇOS COM SETAS
DESCOBRI ROSAS ALARGUEI CIDADES
E CONSTRUÍ POETAS
E NUNCA TE ENCONTREI
NA ESTRADA DO QUE FIZ
AMOR QUE NÃO LOGREI
MAS QUIS.
SEI MEU AMOR INVENTADO QUE UM DIA
TEU CORPO HÁ-DE ACENDER
UMA FOGUEIRA DE SOL E DE FÚRIA
QUE NOS VERÁ NASCER
ENTÃO:
NEM CHOROS, NEM MEDOS, NEM UIVOS, NEM GRITOS,
NEM PEDRAS, NEM FACAS,
NEM FOMES, NEM SECAS, NEM FERAS,
NEM FERROS, NEM FARPAS, NEM FARSAS,
NEM FORCAS, NEM CARDOS, NEM DARDOS,
NEM GUERRAS


Publicado por segismundo_frio às 16:35
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos


pesquisar
 
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Artigos recentes

O leão ruge esta noite

A decadência

sortuda

Re-habilitação

o fabuloso coro dos bombe...

por uma hora: belo e estú...

Antes

Depois

Baker Street não é só She...

...

Arquivos

Outubro 2008

Outubro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

blogs SAPO
subscrever feeds