...anunciou-se a morte da poesia nestes tempos da pós modernidade... mas a poesia voltou simplesmente ao seu início, à origem mais remota, ao canto, à música...
Sábado, 24 de Abril de 2004
Deus!... como te amo...
Dio come ti amo
Domenico Modugno

Nel cielo passano le nuvole
che vanno verso il mare,
sembrano fazzoletti bianchi
che salutano il nostro amore.

Dio come ti amo
non è possibile
avere fra le braccia
tanta felicità
baciare le tue labbra
che odorano di vento
noi due innamorati
come nessuno al mondo

Dio come ti amo
mi vien da piangere
in tutta la mia vita
non ho provato mai
un bene così caro
un bene così vero
chi può fermare il fiume
che corre verso il mare
le rondini nel cielo
che vanno verso il sole
chi può cambiar l'amore
l'amore mio per te

Dio come ti amo
Dio come ti amo


Publicado por segismundo_frio às 14:37
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos


pesquisar
 
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Artigos recentes

O leão ruge esta noite

A decadência

sortuda

Re-habilitação

o fabuloso coro dos bombe...

por uma hora: belo e estú...

Antes

Depois

Baker Street não é só She...

...

Arquivos

Outubro 2008

Outubro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

blogs SAPO
subscrever feeds