...anunciou-se a morte da poesia nestes tempos da pós modernidade... mas a poesia voltou simplesmente ao seu início, à origem mais remota, ao canto, à música...
Sábado, 24 de Setembro de 2005
I’m like a deaf man who can’t relay
See The Trouble With Me - Barry White

I’m like a blind man who lost his way
I can’t see nothin’
I’m like a deaf man who can’t relay
Yeah, I can’t hear nothin’

You see the trouble with me
I can’t do nothin’ without my baby
And as plain as can be
It’s gonna drive me crazy

I walk the lonely streets late at night
Cold and lonely
Everything I do is wrong, never right
I’m lonely for her only

See the trouble with me
I can’t do nothin’ without my baby
And as plain as can be
It’s gonna drive me crazy

See the trouble with me
I can’t do nothin’ without my baby
And as plain as can be, what do I do
It’s gonna drive me crazy

See the trouble with me
I can’t do nothin’ without my baby
And as plain as can be, what do I do
It’s gonna drive me crazy

See the trouble with me
I can do nothin’ without my baby
And as plain as can be
It’s gonna drive me crazy


Publicado por segismundo_frio às 15:32
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos


pesquisar
 
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Artigos recentes

O leão ruge esta noite

A decadência

sortuda

Re-habilitação

o fabuloso coro dos bombe...

por uma hora: belo e estú...

Antes

Depois

Baker Street não é só She...

...

Arquivos

Outubro 2008

Outubro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

blogs SAPO
subscrever feeds